Luz del Fuego

Fonte: Memória Viva, 2008

No Brasil

Para os naturistas, no Brasil a prática é antiga e existe antes da colonização pelos portugueses; pois hábitos semelhantes ao conceito de Naturismo atual já eram praticados pelos índios que aqui habitavam. Além de andarem nus, respeitavam a natureza, sabendo que dessa forma as gerações futuras poderiam usufruir do mesmo nível de qualidade de vida que tinham. Outrossim, respeitavam as pessoas não pela valorização do seu corpo, mas do seu espírito. Para tal argumentação, relata-se a descrição do escrivão Pero Vaz de Caminha sobre os índios aqui existentes:


...Pardos, nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas [...]

Afeição deles é serem pardos, um tanto avermelhados, de bons rostos e bons

narizes, bem feitos. Andam nus, sem cobertura alguma. Nem fazem mais

caso de encobrir ou deixa de encobrir suas vergonhas do que de mostrar a

cara. A cerca disso são de grande inocência [...] Ali andavam entre eles três

ou quatro moças, bem novinhas e gentis, com cabelos muito pretos e

compridos pelas costas; e suas vergonhas, tão altas e tão cerradinhas e tão

limpas das cabeleiras que, de as nós muito bem olharmos, não se

envergonhavam... (FBRN, 2008).


Apesar de não ter sido o motivo da fundação do naturismo moderno no Brasil, a cultura indígena é um referencial para os naturistas brasileiros. Além disso, considerando os hábitos de vários brasileiros, de nadarem nus em rios, lagos e praias desertas, entre outros, constata-se que a cultura indígena nativa permanece em parte na cultura brasileira.

A inserção do naturismo moderno no Brasil foi através da atriz Dora Vivacqua, chamada de Luz del Fuego, que após ter estudado na França, criou o “Partido Naturista Brasileiro” em 7 de Setembro de 1949.

Em 20 de Novembro de 1954 Luz del Fuego criou no Rio de Janeiro o "Clube Naturista Brasileiro”. A INF reconheceu oficialmente o grupo Naturista brasileiro em 1965, quando publicou no seu Guia Anual uma nota sobre a "Fraternidade Naturista Internacional do Brasil” (FNIB), primeiro nome da Federação Brasileira de Naturismo.

Com o declínio dos ideais ditatoriais na década de 80; um grupo em Santa Catarina, na cidade de Camboriú, começou a tomar banho sem roupas numa praia deserta chamada “Praia do Pinho”. Após sair em revista de circulação nacional como matéria de capa, o naturismo se coloca em ascensão;

Em 1986 e 1988, foram criadas respectivamente, a Associação Naturista da Praia do Pinho (atual AAPP) e a Federação Brasileira de Naturismo (FBrN).